Projeto Chuva Online realiza monitoramento da chuva

No próximo dia 16 de dezembro, às 10 horas, na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP, acontecerá o lançamento do Projeto Chuva Online, encabeçado pelo Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da USP, sob a coordenação do professor Carlos Morales. A iniciativa conta com dois mini radares meteorológicos instalados em prédios da Universidade: um na caixa d’água da EACH, no Campus da USP Leste, e outro no topo da torre do Pelletron, no Instituto de Física (IF), na Cidade Universitária.

Um dos objetivos do projeto é testar uma nova tecnologia de monitoramento meteorológico capaz de monitorar a chuva com alta resolução espacial e temporal, muito útil para cidades de pequeno e médio porte. Os mini radares foram configurados para terem um alcance de 21 quilômetros com uma resolução de 90 metros e varreduras a cada 5 minutos.

“É uma tecnologia simples que poderá ser adotada por várias cidades e por empresas que precisam saber onde está chovendo e se existe probabilidade de ocorrer alagamentos em ruas e bairros, por exemplo”, explica o professor Carlos Morales, do IAG. Cada equipamento tem um custo de cerca de R$ 350 mil, enquanto um radar meteorológico convencional pode custar até R$5 milhões. Outra vantagem é que o equipamento, com peso de 100 quilos, é portátil e pode ser alimentado pela rede elétrica comum.

Projeto vai testar tecnologia capaz de monitorar a chuva com alta resolução

Dados em tempo real

Juntos, os dois mini radares coletarão informações meteorológicas da Região Metropolitana de São Paulo. Os dados estarão disponíveis em tempo real e online, no portal do projeto que será apresentado durante a inauguração. Na EACH, dois monitores de alta definição exibirão as informações obtidas pelo radar, enquanto no IAG esses dados serão mostrados em um videowall.

O Chuva Online é um dos projetos que compõem o Sistema Integrado de Gestão da Infraestrutura Urbana (SIGINURB) da Prefeitura do Campus da Capital da USP (PUSP-C). Coordenado pelo professor Sidnei Martini, da Escola Politécnica (Poli) da USP, o SIGINURB busca aperfeiçoar a operação da infraestrutura urbana. Com o Chuva Online, a Prefeitura do Campus da Capital testará tecnologias que subsidiam o gerenciamento de pequenas cidades.
Ambos os projetos interagem com ações do Centro de Estudos e Pesquisas em Desastres da USP (CEPED). Com a aprovação do projeto PRÓ-ALERTA do CEPED pela Coordenadoria de Aperfeiçoamento em Pessoal de Nível Superior (CAPES), coordenado pelos professores Carlos Morales e Hugo Yoshizaki, a rede doChuva Online também será utilizada na capacitação de especialistas do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) e da Defesa Civil do Estado de São Paulo.

Com esses radares e essa tecnologia, os cursos de graduação e pós-graduação da USP passam a contar com ferramental importante para capacitar alunos na área de meteorologia por radar, além de viabilizar o desenvolvimento de aplicativos e fazer previsão de tempo de curtíssimo prazo.

O mini radar no IF foi instalado por meio de projeto do IAG com a PUSP-C. Na EACH, foi feita uma parceria do IAG com a empresa Climatempo e a Fundespa. Essa rede de mini radares também passará a receber dados de um terceiro radar meteorológico, a ser instalado no Parque da Água Funda, onde o IAG mantém sua Estação Meteorológica. Esse terceiro radar será operado pela Fundação Centro Tecnológico de Hidráulica (FCTH), com apoio do governo francês, e está previsto para ser instalado em fevereiro de 2015.

Durante o evento de inauguração será apresentado ao público o portal Chuva Online e suas funcionalidades em mapas geo-referenciados com alta resolução, além de detalhes sobre os projetos Chuva Online, SIGINURB e CEPED da USP e da Climatempo.

Da Agência USP de Notícias
Publicado em 15/12/2014